• Pr. Henrique Lino da Silva

Nosso sustento




“Não sou eu apóstolo? Não sou livre? Não vi eu a Jesus Cristo Senhor nosso? Não sois vós a minha obra no Senhor? Se eu não sou apóstolo para os outros, ao menos o sou para vós; porque vós sois o selo do meu apostolado no Senhor.” (1 Coríntios 9:1-2) Paulo, por sempre pregar e ensinar o verdadeiro Evangelho de Jesus Cristo, era sempre perseguido e acusado, muitas vezes pelos falsos irmãos, pelos falsos apóstolos. Procuravam sempre um meio qualquer de denegrir a sua imagem, de acusá-lo de alguma coisa no meio cristão, e uma delas devido a Paulo sempre ser contra a exploração dos irmãos. O apóstolo Paulo nunca permitiu a barganha, a extorsão na igreja, nunca permitiu a venda, a comercialização do Evangelho, tão comuns nas igrejas atuais, onde os pregadores se esmeram em pedir ofertas e mais ofertas, inclusive chegam a ameaçar com maldição os que não participam dos seus sacrifícios, de suas fogueiras santas, que não se envolvem em suas campanhas. Praticamente chegam a obrigar as pessoas a pegarem envelopes para colocarem ofertas e trazerem nas próximas reuniões. Tomam o dinheiro que as pessoas muitas vezes não têm, pois há pastores que chegam ao ponto de tomar objetos pessoais, joias, eletrodomésticos e ou fazerem as pessoas tomarem dinheiro emprestado para levarem para eles gastarem, esbanjarem nos seus luxos e confortos, comprarem mais uma mansão, uma aeronave, ou fazenda, para curtirem com a família mais uma viagem de férias pelo exterior. Temos que entender que a promessa do Senhor é que o pastor, supervisor de igreja, viva do Evangelho, ou seja, que ele não desfrute de luxo, mas seja mantido pelo ministério, pela igreja, mesmo porque ele tem que dedicar tempo integral ao ministério. “Esta é minha defesa para com os que me condenam.” (1 Coríntios 9:3). Naquela época, como agora, também muitos se faziam pastores, outros chegavam ao ponto de se autointitularem bispos, apóstolos e outros títulos pomposos eclesiásticos. Paulo mostra que ele é um apóstolo assim como os outros legítimos, pois ele também viu Jesus, e sabemos que apóstolos são somente os que viram Jesus com os olhos físicos, portanto, sabemos que atualmente não existe nenhum apóstolo, mesmo porque Paulo foi o último que viu o Senhor. Agora todos nós o vemos pela sua Palavra, nós o vemos no seu Evangelho, e assim não somos apóstolos e nem podemos dizer que fomos ungidos como tais, pois seríamos mentirosos. “Não temos nós direito de comer e beber? Não temos nós direito de levar conosco uma esposa crente, como também os demais apóstolos, e os irmãos do Senhor, e Cefas? Ou só eu e Barnabé não temos direito de deixar de trabalhar?” (1 Coríntios 9:4-6). Por Paulo combater os mercantilismos, a exploração nos templos, os falsos apóstolos, os falsos irmãos resolveram acusá-lo dizendo que então ele também não poderia ser mantido pelas igrejas. Temos que compreender que não é permitido explorar as pessoas, e que não é possível querer enriquecer usando a boa-fé da igreja, mas que a manutenção do pastor e de sua família é responsabilidade da igreja. Isso quer dizer, por exemplo, que a igreja pode pagar o aluguel ou providenciar um lugar para o pastor morar, e ele deve ser alimentado juntamente com sua família pela igreja, mas não pode usar o dinheiro da igreja para comprar um imóvel para ele, não pode comprar um veículo para ele, e sim usar o da igreja, e que deve estar em nome dela. Tudo o que o pastor usar é da igreja. Ele não pode ter patrimônio próprio, a menos que já o tenha antes de ir trabalhar no ministério. Ser sustentado, mantido pela igreja - também não falo de luxo, mas de vida digna somente - isso não é favor, é obrigação da igreja para com o seu pastor. “Quem jamais milita à sua própria custa? Quem planta a vinha e não come do seu fruto? Ou quem apascenta o gado e não se alimenta do leite do gado? Digo eu isto segundo os homens? Ou não diz a lei também o mesmo?” (1 Coríntios 9:7-8). O pastor tem que dedicar seu tempo todo à igreja, tem que estar sempre à disposição do ministério, porque tem que estar disponível para atender os irmãos quando precisarem, além de no tempo livre orar, interceder por eles. Assim, ele não tem tempo ou oportunidade de exercer um trabalho qualquer, a não ser à obra do Senhor. Por isto o Senhor determinou que o pastor viva, seja alimentado, sustentado pela igreja, logo, não se pode acusar algum pastor de viver ou ser sustentado pela igreja. Na verdade, o que não pode acontecer é o pastor ter negócios particulares, ter empresas ou exercer outras funções no mundo, e quando os irmãos necessitarem de falar, conversar ou pedir uma orientação, eles não estarem disponíveis. Temos que compreender que ser pastor não é exercer uma profissão, mas responder a um chamado. Ser pastor não pode ser visto como uma alternativa para ganhar dinheiro, ou como uma profissão rendosa, e sim exercer um ministério vinte quatro horas por dia. A única garantia que o pastor tem do Senhor é que não precisa se preocupar com ele próprio e a família em termos de sustento e manutenção, pois isso é providenciado pelo Senhor através da sua igreja, mesmo porque, por não ser um trabalho comum, o pastor não tem aposentadoria e trabalha até no dia em que o Senhor o chamar e levá-lo para o descanso eterno. “Porque na lei de Moisés está escrito: Não atarás a boca ao boi que trilha o grão. Porventura tem Deus cuidado dos bois? Ou não o diz certamente por nós? Certamente que por nós está escrito; porque o que lavra deve lavrar com esperança e o que debulha deve debulhar com esperança de ser participante. Se nós vos semeamos as coisas espirituais, será muito que de vós recolhamos os carnais?” (1 Coríntios 9:9-11). Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe. Um abraço, Pr. Henrique Lino Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração.

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo