• Pr. Henrique Lino da Silva

Crucificação




“E levavam também com Ele outros dois, que eram malfeitores, para serem mortos. Quando chegaram ao lugar chamado Caveira, ali o crucificaram, a Ele e também aos malfeitores, um à direita e outro à esquerda.” (Lucas 23:32-33)

Os judeus tudo fizeram para humilhar o nosso Senhor Jesus Cristo, queriam de todas as maneiras humilhar o Filho de Deus, prova tal que, depois de o prenderem e fazerem com que fosse chicoteado, que fosse humilhado e espancado publicamente, ainda lhe fizeram carregar parte da cruz até o lugar onde seria crucificado. Como se não bastasse, ainda fizeram questão de crucificá-lo ao lado de dois ladrões, de dois bandidos. Com esse ato queriam equipará-lo a um deles, não sabendo eles que o que estavam fazendo era para a condenação deles, e que também simplesmente estavam cumprindo as Escrituras, uma vez que o Pai já tinha revelado através dos seus profetas tudo o que iria acontecer, e assim aconteceu. Fizeram questão de crucificar um ladrão a sua direita e outro a sua esquerda, mas eles não sabiam, não imaginavam que estavam cometendo o maior dos crimes, pois estavam matando o Filho de Deus, na verdade, o próprio Deus. Assim também são as pessoas, os fariseus da nossa geração, que tudo fazem para crucificar o Filho de Deus em suas vidas, nos seus templos, porque todas as vezes que agem de maneira deliberada contra a vontade de Cristo, estão crucificando o Filho de Deus, estão banindo-o das suas vidas, e com isto estão escolhendo as trevas, o sofrimento e a morte eterna. “Jesus, porém, dizia: ‘Pai, perdoa-lhes; porque não sabem o que fazem’. Então repartiram as vestes Dele, deitando sortes sobre elas.” (Lucas 23:34). Apesar de eles tudo fazerem para infringir dor e sofrimento a Jesus, humilhando-o de todas as formas, Ele, no entanto, estava preocupado em evitar que eles sofressem, porque até o último momento Ele estava clamando ao Pai para que perdoasse aquelas pessoas, pois elas não tinham noção do que estavam fazendo. Jesus estava mostrando com esse ato que o mal não estava Nele, mas naquelas pessoas, pois, apesar de elas quererem destruí-lo, quererem a sua morte, Ele estava clamando por suas vidas. Não só nos ensinou como devemos perdoar o próximo, como devemos amar o nosso semelhante, mostrando-nos isto da forma mais dolorosa.

“E o povo estava ali a olhar. E as próprias autoridades zombavam Dele, dizendo: Aos outros salvou; salve-se a si mesmo, se é o Cristo, o escolhido de Deus. Os soldados também o escarneciam, chegando-se a Ele, oferecendo-lhe vinagre, e dizendo: Se tu és o rei dos judeus, salva-te a ti mesmo.” (23:35-37). Observamos que até as suas roupas eles tomaram e dividiram entre eles, mas Jesus nunca se preocupou com nenhum bem material, prova tal que Ele não comprou nada e não vendeu nada durante a sua vida, e nem por isso passou por qualquer necessidade, isto porque o Pai cuidou Dele, assim como Jesus nos ensinou que o Pai cuidaria de todos nós quando aprendêssemos a buscar o Reino em primeiro lugar. A perseguição a Jesus foi até o último instante, porque, já crucificado, todos sabiam que a sua morte era questão somente de tempo, uma vez que, quando alguém está crucificado, é questão de tempo até morrer, pois, vencido pelo cansaço, morre por sufocação. As pessoas, vendo-o na cruz, escarneciam, faziam piadas com Ele. Eram extremamente cruéis, maldosas, não percebendo o mal que estavam fazendo a elas mesmas. Se analisarmos tudo de acordo com a Palavra de Deus, o que aquelas pessoas deveriam ter feito, se tivessem examinado as Escrituras, meditado, com certeza, não teriam cometido tamanha injustiça; e também nós não faríamos tantas ofensas ao Senhor como Fazemos. Devemos analisar as nossas atitudes, para vermos se também não estamos agindo igual, se não estaremos sendo iguais ou piores do que aquelas pessoas. “Por cima Dele estava esta inscrição [em letras gregas, romanas e hebraicas:] ESTE É O REI DOS JUDEUS.” (Lucas 23:38-39).


Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino


16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo