• Pr. Henrique Lino da Silva

Cristo Crucificado



”E eu, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não fui com sublimidade de palavras ou de sabedoria. Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado. E eu estive convosco em fraqueza, e em temor, e em grande tremor.” (1 Coríntios 3:1-3)

O apóstolo Paulo ao falar, explicar o Evangelho de Jesus Cristo aos irmãos da igreja de Corinto, diz que, quando foi inicialmente apresentar o Evangelho, ele não usou palavras difíceis, ou demonstrou ser um grande sábio ou estudioso, ele simplesmente falou de Jesus da maneira mais simples possível. Fico observando hoje os pregadores brasileiros, a sua maioria tenta utilizar um português sofisticado, e muitas vezes as pessoas mais humildes têm dificuldade para entender. Os pregadores de hoje, os teólogos, tentam demonstrar um conhecimento, uma sabedoria, que ultrapassa os limites, mas, quando conversamos com eles, percebemos que são pessoas vazias, programadas para falarem aquilo que fizeram nos púlpitos, mas fora de lá ficam perdidas, e, quando fazemos alguma pergunta, ficam sem resposta. São pregadores que se esmeram em falar de vitórias pessoais, de testemunhos de obtenção de coisas materiais, que ensinam qualquer coisa, só não ensinam Jesus Cristo, o Filho de Deus. Paulo, quando pregou aos coríntios, não ficou falando de qualquer coisa, e sim mostrou quem era Jesus e como atuava, e as pessoas creram e se converteram a Cristo. Assim nasceu a igreja de Corinto. Vemos também em Atos dos Apóstolos a primeira pregação de Pedro, um homem iletrado, um simples pescador, mas falou no Poder que há no Nome de Jesus, fez com que todos entendessem e compreendessem quem era Jesus e o que eles tinham feito com Ele. E então as pessoas simplesmente perguntavam: “o que podemos fazer para nos livrarmos desse castigo?” E então Pedro mandava que se arrependessem e fossem batizados em Nome de Jesus. Vemos que no mesmo momento o Senhor deu o dom de línguas, para que todos os apóstolos também pregassem em vários idiomas, e de maneira direta e simples, para todos os estrangeiros que ali estavam. Por isto temos a preocupação de falar de maneira clara e direta a todos; falamos de Jesus, ensinamos o Evangelho, sem utilizarmos palavras difíceis de entendimento, mas na linguagem mais simples possível.

“A minha linguagem e a minha pregação não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria, mas em demonstração do Espírito de Poder; para que a vossa fé não se apoiasse na sabedoria dos homens, mas no Poder de Deus.” (1 Coríntios 3:4-5). Paulo não usou palavras ou outra coisa qualquer para tentar atrair as pessoas ou convencê-las a se converterem, ele simplesmente falou do Evangelho. Hoje vemos tudo o que os pregadores fazem: contratam cantores famosos, muitos deles mundanos, fazem shows, campanhas e muito teatro, usam de tudo para atrair o povo, e mentem descaradamente em suas palavras para que de alguma forma possam atrair mais pessoas. Oferecem tudo: bênçãos, milagres, sinais e muito mais, mas só que nada acontece, pois o Senhor não está presente, assim eles são obrigados a apelar para o teatro e outras coisas mais. Temos que oferecer simplesmente o Evangelho, lermos a Bíblia e falarmos de Jesus, não temos que falar de quaisquer outras coisas, porque as pessoas que o Senhor chamar virão e se converterão a Ele, porque buscam Ele, não vêm por interesse em qualquer promessa que não seja do Senhor, mas de pastores. Quem vem para as congregações, os templos denominacionais, porque pastores ofereceram isto ou aquilo, não são pessoas convertidas, mas simplesmente interesseiras. Assim não falamos com sabedoria humana, falamos de Jesus, falamos do seu Poder e do que Ele deseja fazer com cada um de nós. “Na verdade, entre os perfeitos falamos sabedoria, não, porém a sabedoria deste mundo, nem dos príncipes deste mundo, que estão sendo reduzidos a nada; mas falamos a sabedoria de Deus em mistério, que esteve oculta, a qual Deus preordenou antes dos séculos para nossa glória; a qual nenhum dos príncipes deste mundo compreendeu; porque se a tivessem compreendido, não teriam crucificado o Senhor da Glória. Mas, como está escrito: As coisas que olhos não viram, nem ouvidos ouviram, nem penetraram o coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam.” (1 Coríntios 3:6-9).

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino



31 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Promessa