• Pr. Henrique Lino da Silva

Covil de salteadores



“Chegaram, pois, a Jerusalém. E entrando Ele no templo, começou a expulsar os que ali vendiam e compravam; e derribou as mesas dos cambistas, e as cadeiras dos que vendiam pombas.” (Marcos 11:15)

Quando Jesus chegou ao templo, Ele expulsou os vendedores cambiadores que lotavam o pátio exterior. Isto porque no pátio do templo ficavam todos os que vendiam animais, segundo eles, perfeitos para serem oferecidos como holocausto, ou para sacrifícios, uma vez que naquela época as pessoas eram obrigadas a apresentarem ofertas e animais para holocausto, com a finalidade de serem perdoadas, apesar de, por mais sangue que fosse derramado sobre o altar, ser impossível livrar alguém dos pecados cometidos. “Mas nesses sacrifícios cada ano se faz recordação dos pecados, porque é impossível que o sangue de touros e de bodes tire pecados. (Hebreus 10:4-5). Todas as crianças tinham que ser apresentadas ao sacerdote no oitavo dia de nascimento, e nesse dia tinham que ser circuncidadas, e os pais tinham que apresentar um animal. Por mais pobres que fossem, deveriam apresentar pelo menos um casal de rolinhas. Assim, os sacerdotes, os religiosos já colocavam pessoas vendendo ali no templo e, claro, vendendo até mesmo por um preço exorbitante, dizendo que aqueles animais eram os melhores para serem oferecidos ao Senhor. Jesus não permitiu isso e chegou expulsando todos eles. Inclusive no Evangelho de João, capítulo 2, fica mais claro esse tema, pois mostra que Jesus ficou irado, fez um chicote e saiu virando as mesas, barracas, espalhando o dinheiro desses comerciantes. Jesus deixou bem claro que o templo não é lugar de qualquer espécie de comércio, e não há desculpas dizendo que é do lado de fora, um anexo do templo, porque toda a construção que envolve o templo é território dedicado a adorar Deus e aprender o Evangelho. Assim, sabemos que todos esses templos modernos, que se especializam em variados tipos de comércio, estão indo frontalmente contra a Palavra de Deus, são simplesmente como aqueles fariseus que prenderam e crucificaram Jesus. Não importa se são Cds, DVs, livros, ou uma viagem, quem sabe um retiro para alguma época festiva. O fato é que nada, absolutamente nada, pode ser vendido dentro dos templos, não importa se vão apresentar desculpas para ajudar outros pregadores. E todas as pessoas que estão comprando também estão pecando, estão longe do Senhor. Não se esqueçam de que foi o único momento em que vemos Jesus irado.

“E não consentia que ninguém atravessasse o templo levando qualquer utensílio; e ensinava, dizendo-lhes: Não está escrito: A minha casa será chamada casa de oração para todas as nações? Vós, porém, a tendes feito covil de salteadores.” (Marcos 11:16-17). Jesus nos ensina que os templos (igrejas físicas) são lugares de adoração e oração, e não lugar de qualquer espécie de comércio. Veja que Ele não permitiu nem mesmo que as pessoas ficassem transportando as coisas pelo meio do templo. Portanto, não podemos concordar em permitir que as pessoas fiquem se levantando e andando na hora do culto. Existe uma quantidade de pessoas que são usadas pelo diabo, e elas se levantam toda hora para irem ao banheiro, para irem tomar água e outras coisas mais. Temos que compreender que essas pessoas, além de não quererem ouvir o Senhor, também servem de motivo de distração para outras. De igual forma, as pessoas ficam brincando com crianças, ou permitindo que crianças brinquem ou corram pela igreja. Temos que ter reverência, e não concordarmos com isso, uma vez que as reuniões, os cultos não podem ser prolongados, não devem ultrapassar as duas horas, porque esse tempo é suficiente para louvar, testemunhar e orar, e principalmente para ouvir a mensagem. Assim, todos os templos que estão permitindo qualquer tipo de comércio, ou que autorizem, aceitem a desordem, a bagunça, não são casas do Senhor, mas do diabo. A Palavra de Deus nos mostra que devemos ter ordem e decência, reverenciar no templo, e se isso não está acontecendo, com certeza há algo errado. Não se pode nem mesmo comercializar produtos de perfumaria, porque muitas mulheres levam produtos da Jequiti, Avon e outros para vender na igreja. Não se esqueça de que isso é pecado, a casa do Senhor não é lugar para isto. “Ora, os principais sacerdotes e os escribas ouviram isto, e procuravam um modo de o matar; pois o temiam, porque toda a multidão se maravilhava da sua doutrina. Ao cair da tarde, saíam da cidade.” (Marcos 11:18-19).

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo