• Pr. Henrique Lino da Silva

As ofertas



“Jesus, levantando os olhos, viu os ricos deitarem as suas ofertas no cofre; viu também uma pobre viúva lançar ali dois leptos; e disse: Em verdade vos digo que esta pobre viúva deu mais do que todos; porque todos aqueles deram daquilo que lhes sobrava; mas esta, da sua pobreza, deu tudo o que tinha para o seu sustento.” (Lucas 21:1-4)

Jesus, várias vezes, no templo, ficava ali próximo do gazofilácio, ou ofertório, e observava as pessoas devolverem os seus dízimos e ofertarem. Mas Ele ficava observando não porque desejava que as pessoas ofertassem mais, ou para pedir a elas mais ofertas. Ele ficava observando o comportamento das pessoas diante do Senhor. Ficava observando o compromisso, a seriedade com que se tratava a Palavra de Deus, ficava observando a prioridade de Deus nas vidas das pessoas frequentadoras dos templos. Por exemplo, um rico colocava uma grande oferta aos olhos de todos e fazia questão de ofertar em um momento em que todos estivessem vendo, para assim saberem que ele estava dando uma grande oferta, e ele ser louvado pelos sacerdotes e religiosos. Mas o que os ricos davam, que parecia muito aos olhos dos homens, para Deus não era nada, pois o Senhor conhece todas as coisas, nada fica oculto diante Dele. Assim, um valor que parece alto para o povo, para um rico é nada e não faz a menor diferença, assim Ele está simplesmente agradando aos homens e a si mesmo, e não a Deus. Se estamos dando algo que está sobrando, não faz nenhuma falta a nós, qual a vantagem, qual o louvor dessa atitude para o Senhor? Somente tem valor para os homens. Mas vemos que Ele elogiou a pobre mulher viúva, que deu tudo – mas isso não significa algo que se deva fazer –, essa mulher deu tudo o que tinha, demonstrando assim que o Senhor era a sua prioridade, que ela confiava plenamente Nele. O problema não é darmos dinheiro, mas quem é o Senhor em nossas vidas, qual posição Ele ocupa, porque, se Ele não for o primeiro, se não for a prioridade em nossa vida, então não pertencemos a Ele. Hoje os espertalhões usam esse versículo ou parte dele para ficarem pedindo dinheiro às pessoas, exigindo que elas deem tudo o que têm, usam esse versículo de maneira errada para extorquir as pessoas. Mas o que Jesus está observando é o nosso comportamento, nossa seriedade e o nosso compromisso com Ele.

“E falando-lhe alguns a respeito do templo, como estava ornado de formosas pedras e dádivas, disse Ele: Quanto a isto que vedes, dias virão em que não se deixará aqui pedra sobre pedra, que não seja derribada.” (Lucas 21:5-6). Assim como as pessoas ficavam e ficam observando quem dá grandes ofertas, também amam frequentar os grandes templos e comentar sobre eles, sobre o luxo, a grandeza deles, como se isso importasse para o Senhor. Não podemos esquecer que os verdadeiros templos somos nós, e esses é que devem estar limpos, adornados e preparados para o nosso Senhor. Quando vieram comentar, elogiar a grandeza do templo, o luxo, Jesus não ficou animado, elogiando, ao contrário, falou em destruição, mostrando que nada disso importa. As grandezas, o conforto e o luxo dos templos não são para o Senhor, para os seres humanos, para os frequentadores e visitantes, porque são esses que desfrutam do conforto desses lugares. O Senhor não desfruta de nenhum luxo, por maior que consigamos dar a Ele aqui, porque tudo isso é passageiro, o que o Senhor desfruta são nossos templos limpos e purificados em que Ele possa habitar. Hoje em dia é comum encontrar templos enormes, quase como um shopping, pois muitos têm restaurantes, lanchonetes, livrarias, lojas de recordações, colégios, e até para o nosso espanto: academias de ginástica, além de outras coisas. Tudo isso é para oferecer conforto para os seres humanos, seus frequentadores, e não para Deus. Na verdade, isso afasta o Senhor, porque as pessoas se envolvem tanto com as coisas terrenas que esquecem e banalizam as superiores, espirituais. Existem templos de tamanha grandeza que são frequentados somente por pessoas de posse, porque as pessoas humildes não se sentem confortáveis, se sentem fora de lugar, além, é claro, de que esses grandes templos estão em busca das classes médias e médias altas, e desprezam as classes baixas, como se o Senhor fizesse distinção. Jesus disse: tudo isso será destruído, por isso não se preocupem com a grandeza ou tamanho, conforto do seu templo, congregação, observem se a Palavra é vivida e ensinada. “Perguntaram-lhe então: Mestre, quando, pois, sucederão estas coisas? E que sinal haverá, quando elas estiverem para se cumprir?” (Lucas 21:7).

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino



16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Promessa