• Pr. Henrique Lino da Silva

Amor Fraternal



“Permaneça o amor fraternal. Não vos esqueçais da hospitalidade, porque por ela alguns, sem o saberem, hospedaram anjos. Lembrai-vos dos presos, como se estivésseis presos com eles, e dos maltratados, como sendo-o vós mesmos também no corpo.” (Hebreus 13:1-3)

Devemos todo o tempo praticar as ordenanças do Senhor, cumprir os seus mandamentos, e um dos principais é amar o próximo como a nós mesmos. Sabemos que quem ama o próximo não rouba, adultera, ou faz qualquer coisa que possa ferir, magoar, entristecer ou causar prejuízo, dano a outra pessoa, isto porque ninguém quer sofrer por essas coisas. Assim, devemos sempre amar o próximo não pelo que o próximo possa fazer em nosso favor, ou em desfavor, mas porque o nosso Mestre mandou, e como somos obedientes e amamos o Senhor, então amamos o próximo, mesmo que esse próximo nos odeie. Temos que compreender que, quando amamos o próximo, quando atendemos alguém que está precisando de alguma coisa, talvez somente de uma palavra, que sejamos ouvintes, quando perdoamos alguém, estamos obedecendo ao Senhor, e muitas vezes vemos somente o que os nossos olhos carnais, físicos conseguem ver, mas podemos estar fazendo alguma coisa por um anjo do Senhor. É muito fácil condenar alguém que cometeu um crime qualquer, que foi acusado e preso, mas nós não procuramos entender a origem daquela pessoa, o que a levou a cometer tal fato, não nos preocupamos de apresentar o Senhor Jesus a ela, achamos que somos melhores, superiores, mas muitas vezes nós é que somos piores, porque, se somos cristãos, devemos amar aquela pessoa como a nós mesmos, e temos a obrigação de apresentar o Senhor Jesus a ela, claro, se nós conhecemos Jesus. Muitas vezes o Senhor coloca algumas pessoas em determinadas situações para ver como elas agirão, se elas vão demonstrar amor, se vão socorrer, ajudar, atender, e muitas dessas pessoas são anjos do Senhor, e não sabemos, não as identificamos. Não importa a situação em que as pessoas estiverem, se estão precisando de qualquer coisa, é nosso dever, nossa obrigação ajudá-las se realmente somos cristãos. Temos que lembrar que Jesus veio ao mundo, sofreu, foi humilhado, chicoteado, crucificado e morreu por todos nós, inclusive por aquela pessoa que gostamos de apontar o dedo e condenar.

“Honrado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; pois aos devassos e adúlteros, Deus os julgará.” (Hebreus 13:4). Ninguém é obrigado a se casar, ninguém é obrigado a constituir uma família, não existe essa determinação da parte do Senhor. Mas, se a pessoa casou, então deve honrar o casamento, deve respeitar e amar o cônjuge, saber que a pessoa humana mais importante para ela é o seu cônjuge, não seu pai, mãe ou filhos. Quando casamos, nós nos unimos a uma outra pessoa que escolhemos, e não é o Senhor que escolhe marido ou esposa para ninguém, nós é que fazemos essa escolha, mas depois que concordamos, que dizemos o Sim, depois que diante de um juiz de paz afirmamos que queremos aquela outra pessoa como nosso cônjuge, Deus então transforma as duas em uma, Ele une as duas pessoas, e a partir daquele momento não são mais duas pessoas, somente uma. Por mais que não vejamos isso com os nossos olhos físicos, creia na Palavra de Deus, que diz que não são mais duas, mas uma só carne. Assim, espiritualmente estão juntos até que o Senhor os separe, e a única maneira de o Senhor os separar é com a morte. Quando uma pessoa casa, ela está ligada a outra até a morte, e todos os que se aventuram em um segundo relacionamento estão pecando, estão em desobediência à Palavra de Deus, e são chamados de adúlteros, e estes não terão direito à salvação. Nenhum adúltero será salvo, todos os que estão divorciados, separados, envolvidos com outra pessoa, se não se arrependerem e pedirem perdão a Deus, se não abandonarem essa desobediência, irão padecer por toda a eternidade. Todas as pessoas que estão traindo seus cônjuges serão condenadas ao inferno, sofrimento eterno, se não se arrependerem urgentemente. Não podemos esquecer que divórcio é algo dos homens, dos seres humanos, para Deus não existe divórcio. “Seja a vossa vida isenta de ganância, contentando-vos com o que tendes; porque ele mesmo disse: Não te deixarei, nem te desampararei. (Hebreus 13:5).


Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino


22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo